Conheça quem apoia os nossos resgates.
Nos ajude mensalmente. Saiba como!
Assista aos vídeos do nosso dia a dia.
Siga-nos pelas redes sociais.
Dúvidas? O Rancho Responde!
Bootstrap Slider
Página Inicial Cotia-SP, 14 de Dezembro de 2017



Área do Associado

E-mail:
Senha:
Lembrar senha 




Proibido uso de animais em circos no Paraná

Fonte:Paraná-online


Para deputados, bichos recebem tratamento equiparado à tortura.

Por unanimidade, a Assembleia Legislativa do Paraná derrubou ontem o veto do governador Orlando Pessuti à lei que proíbe em todo o Estado a apresentação, manutenção e utilização de animais selvagens e domésticos em espetáculos circenses.

A votação foi assistida por representantes de Organizações Não-Governamentais (Ong's) de proteção e direito dos animais, que comemoraram a decisão.De acordo com a deputada que fez o requerimento, Rosane Ferreira (PV), essa lei tramita na casa há oito anos, mas somente agora é que foi aprovada.

"Havia um projeto anterior do ex-deputado Renato Gaúcho, que acabou sendo arquivado. Ele voltou em 2007, pelas mãos do deputado Luiz Nishimori (PSDB). Para que conseguisse a aprovação e o veto dos colegas parlamentares, foi feita uma substituição no texto, pois, da maneira em que estava, proibiria não apenas uso de animais em circos, mas também em eventos, feiras, rodeios, entre outros. Se isso continuasse no texto, certamente o veto do governador seria mantido", avalia.

Questionada sobre motivo pelo qual o governador teria vetado esta lei, a deputada minimiza e acredita que foi apenas uma má interpretação. "Não vejo um motivo para que a lei fosse barrada. Acredito que o governador Pessuti cometeu um ligeiro equívoco que, felizmente, foi corrigido pela gente. Entendo que esta lei é de interesse público", afirma.

Para Ferreira, o tratamento que os animais de circo recebem são equiparados à tortura. Ela opina que os animais não foram feitos para entretenimento de pessoas.

"Até um animal aprender um truque, são horas de treinamento e de tortura. É inadmissível que isso ainda seja permitido no século 21. Além desta proibição, a lei também informa que os circos não podem abandonar o animal à própria sorte, devendo os mesmos serem encaminhados para zoológicos e afins", informa.

Luta

A integrante da Ong SOS Bicho, Yanê Carvalho, conta que essa foi uma importante vitória em benefício dos animais. Ela garante também que a luta não vai terminar por aí.

"Estamos todos satisfeitos em ver que os deputados quebraram o veto do governador. Ficamos felizes em ver as Ong's pró-animais se fortalecendo e conseguindo com que leis como esta sejam aprovadas. Se não fosse a nossa união, em que mandamos centenas de emails para os deputados, acredito que o veto poderia continuar. Agora é a gente continuar olhando para frente e seguir com nosso próximo objetivo, que é o de fazer um controle ético de animais de rua, por meio de castração", avisa.